MENU
Quarta-feira, 23 de Setembro de 2020

Uma ameaça em potencial

Uma ameaça em potencial

Compartilhe

Municípios adotam medidas preventivas a fim de minimizar efeitos do Coronavírus

Revivendo um cenário já visto do mundo em 2010 com a pandemia de gripe A, o Brasil registrava 529 casos de Coronavírus até o fechamento desta edição. Na época, a OMS estimou 18,5 mil mortes por H1N1 no primeiro ano de gripe A (média de 1,5 por mês). Até a última terça-feira, 17, já haviam sido registrados mais de 7 mil óbitos desde os primeiros registros ainda no ano passado na China. Contudo, no caso da gripe A, logo se descobriu uma medicação capaz de combater o vírus. Enquanto que no Covid-19, não há nada concreto, exceto a autorização do início de testes em seres humanos.
Diante disso, e levando-se em consideração a rápida disseminação do patógeno SARS-COV-2, Estados estão decretando situação de emergência ou medidas preventivas com a intenção de minimizar a curva crescente de casos. O Brasil registrou o 1° caso de contaminação em 26 de fevereiro. Na terça-feira, 17, registrou o primeiro óbito. Na quarta-feira, 18, outros quatro também foram confirmados. Outros estão em análise.
Em 2010, o Rio Grande do Sul apresentou 298 mortes por H1N1. Até o momento não há registro de óbitos no Estado. Para evitar que o Covid-19 atinja um pico maior de infestação, o Governador Eduardo Leite publicou na manhã da última segunda-feira, 16, um decreto regulamentando medidas, como a suspensão das aulas na rede estadual, a proibição de aglomerações de pessoas e outros. A partir disso, os prefeitos da região Celeiro, reuniram-se para discutir a amplitude deste decreto a nível municipal, e com isso, seguiram as regulamentações do Governo do Estado e também determinaram medidas.
“Esse decreto é uma decisão conjunta entre todos os municípios da Região Celeiro. Estamos embasados em uma decisão do Governo do Estado, o qual definiu pela paralização das aulas, evitar aglomerações, uma série de medidas para impedir ou minimizar os avanços do vírus no Estado. A intenção é evitar que a transmissão aconteça em um pico de infecção, para que isso não gere uma epidemia com grande número de pessoas infectadas. Estamos tomando medidas para evitar que isso se dissemine”, explicou o prefeito de Santo Augusto, Naldo Wieghert.

Confira a cobertura especial realizada pela equipe do Jornal O Celeiro na edição desta semana.

error: Content is protected !!