Política

Três Passos - Pronunciamentos dos vereadores na sessão legislativa

Confira os pronunciamentos de todos os vereadores durante a sessão legislativa

Willian Heineck/Tocha (MDB) Fala que após três anos de legislatura sente-se mais seguro quanto à dinâmica e todas as possibilidades que esse cargo nos impõe e pronto para aplicar algumas ideias e propostas. Tenho também agora o desafio de participar da mesa diretora e agradeço a confiança dos colegas que votaram em nós de forma unânime. E uma de nossas ideias como mesa diretora é trabalharmos no sentido de desfazer um pouco essa concepção de que todos os políticos são ruins. Não é fácil fazer com que as pessoas compreendam o trabalho que nós realizamos, mas é um trabalho de paciência que temos que fazer, explicando com calma nossas atribuições e nossos poderes enquanto legislativo. Temos muitas limitações, no entanto é importante a comunidade ter a compreensão de que a cidade que temos, o município que temos é construído através da política e essa concepção precisa começar lá na escola e nos demais meios de convivência da sociedade. Não acredito em heróis “salvadores”, a política começa aqui em baixo, no município. É das comunidades que vão surgindo os políticos, é da base que vão surgindo as necessárias mudanças. Precisamos de projetos e também de ações, de obras. Mas também precisamos de pensamentos e ideias que influenciem. Não podemos pensar só no voto, temos que agir de forma coletiva e pensando no coletivo. Pode até ser utópico, mas sem utopias dificilmente avançamos. Temos que pensar até no impossível para alcançarmos o possível. Espero que neste ano possamos envolver toda a comunidade e trabalharmos juntos pelo seu engrandecimento, buscando um bem-estar sempre melhor para nós, nossos filhos e futuras gerações.

Artulino e Naira: sobreviventes de crimes

Ido Rhoden (PTB) – Almejou que os dois primeiros anos da atual legislatura tenham sido de aprendizado para mim que entro no 31º ano de legislador e para todos os colegas vereadores. Que nossa convivência política tenha amadurecido, sem raiva e ódio entre os pares. A divergência de opiniões é salutar e faz parte da vida política, mas sem ranço. Ido disse lamentar o ocorrido em Minas Gerais que em função da irresponsabilidade e ganância, centenas de pessoas morreram. Muitos sequer serão enterrados pelas famílias pois estão soterrados. Falou também de duas pessoas residentes em Três Passos e que se encontram acamadas há muitos anos. Quase foram a óbito e estão em cadeiras de roda ou na cama, pois a violência contra elas foi impiedosa. Não eram inimigos, nem se conheciam. Artulino Plack tem hoje 74 anos de idade e 23 de cadeira de rodas ou cama. A bala que levou está alojada na coluna sem condições de ser retirada, fruto de emboscada e assalto na Cotricampo, unidade de Padre Gonzales. Por vezes a dor é tanta que nem a morfina ameniza. Naira Senger, agente de saúde que foi baleada a exatos 10 anos numa estrada do interior resistiu a tudo e hoje toma 16 comprimidos diariamente e me disse: minha vida se resume a este quarto, nesta cama, mesmo assim estou resignada. Tem gente em piores condições de vida. Não estou aqui por acidente ou por força da natureza, estou aqui pelo desejo de terceiros que nem conhecia”. Como vereador, prosseguiu, sempre visito famílias e pessoas que necessitam de ajuda ou apenas uma presença amiga e é o que fiz a estas duas famílias no final do ano. A solidariedade  de que pode praticar deve ser exercida, isso faz bem para mim e para quem precisa. Mesmo não sendo político precisamos praticar mais atos de ver o próximo e principalmente estender a mão aos que estão com dificuldades. Não é fácil de realiza, mas é um compromisso completou Ido.

Os mais pobres é que serão sacrificados mais uma vez

Marli Francke (PT) Ao reiniciarmos nossas sessões ordinárias, quero dizer que tenho boas expectativas quanto ao nosso trabalho para este ano. Vejo esta casa mais amadurecida, consciente e disposta ao diálogo, fundamental para resolvermos os problemas que se apresentam em nosso município. Não posso dizer o mesmo quando me refiro ao governo federal, nas questões nacionais. Tudo o que tenho ouvido me assusta. Vai entrar no Congresso Nacional a Reforma da Previdência e é importante que acompanhemos o que os nossos deputados e senadores, a quem damos o nosso voto, vão fazer. Quais vão votar a favor dessa reforma que vai castigar justamente aqueles que ganham menos, porque ficam de fora os políticos, os militares e o poder judiciário, os que abocanham grande parte do orçamento. Os mais pobres é que serão sacrificados mais uma vez e eu não posso concordar com isso. Ouço também o Ministério da Educação propondo ensino a distância até para o Ensino Fundamental. Imaginem crianças pequenas aprendendo a distância, com os pais ensinando em casa, quando os pais, sabemos, já se ocupam com seu trabalho para sobreviver com um salário cada vez mais achatado, como tem ocorrido principalmente com reformas trabalhistas que só pioram a vida do trabalhador. Agora querem também que as grandes empresas, frigoríficos, fiscalizem eles próprios seus produtos. E o pequeno agricultor, poderá também ele mesmo fiscalizar seus produtos? Duvido muito. Não podemos nos alegrar com tudo isso. Mas quero destacar que a política é o caminho para nossas conquistas, daí a importância de fiscalizarmos, acompanharmos o que fazem e farão aqueles a quem elegemos.

Aqui se gasta muito com folha e pouco com a saúde em si

Arlei Tomazoni (PSDB) – Cita obras de asfaltamento em ruas do centro da cidade e que logo apresentam problemas, sugerindo que o município adquira uma usina de asfalto a quente. Os problemas que estão aparecendo com simples manobras de veículos nas pistas não são por culpa dos funcionários, o problema está no equipamento e material utilizado. Quero também falar sobre a falta de médicos em nossos postos de saúde. Está faltando previsibilidade, gestão, para que quando um médico sai para férias ou outro motivo, tenha logo um substituto. Estão até dizendo que a CPI é a culpada, mas quero esclarecer que a atribuição de contratar é do executivo e nós não reprovamos nenhum projeto para novas contratações. Sobre gastos na área da saúde em 2018 o vereador cita valores per-capita de diversos municípios da região, que chegam até próximo de R$ 1.000,00  enquanto Três Passos dispendeu apenas R$ 329,00 per-capita. Aqui se gasta muito com folha de pagamento da Secretaria da Saúde e pouco com a saúde em si. Saúda e cumprimenta o presidente Vinícius por ter assumido temporariamente o executivo, mantendo um ótimo diálogo e nesses poucos dias que lá esteve, apresentar projeto concedendo incentivo às empresas de Três Passos, em forma de serviços de obras e terraplanagem para construção, ampliação ou melhorias de empreendimentos. Arlei critica o CREMERS por ter se posicionado contra o curso de medicina na Unujuí, o que já havia recebido uma nota de repúdio do vereador presidente quando assumia o poder executivo. Ainda bem que essa posição do CREMERS não foi aceita pela Justiça. Precisamos de mais médicos e esse posicionamento do Conselho Regional de Medicina merece como mereceu a indignação de muitas pessoas que se manifestaram pelas redes sociais.

 

Queremos consolidar a Câmara como um espaço de cidadania

Vinícius Araújo (PC do B) – Inicia agradecendo a confiança dos demais vereadores que elegeram de forma unânime a atual mesa diretora, fruto de uma construção através do diálogo. Queremos cada vez mais consolidar a Câmara de Vereadores como um espaço de diálogo, de transparência e de cidadania, onde a comunidade se sinta parte e possa interagir através dos diversos mecanismos disponíveis. Fala do curto período em que ficou à frente do poder executivo e que foi uma bela experiência. Encaminhamos o projeto Prefeito Mirim que já havia sido editado em 2016 e será repetido neste ano. Nos próximos dias encaminharemos o projeto vereador mirim para que ambos se realizem concomitantemente no mês de outubro, aproximando crianças e adolescentes do trabalho do executivo e do legislativo. Conforme já mencionou o colega Arlei, encaminhamos também (como prefeito interino) o projeto-de-lei de incentivo às empresas e que agora será discutido pelas comissões e posteriormente votado pelo plenário. Enviamos ainda um documento nos posicionando contra a pretensão do CREMERS em querer barrar o curso de Medicina da Unijuí, por entendermos a importância desse curso para toda nossa região. Destacou encaminhamento para revitalização da Praça Professor Kurt Gotwald junto à Escola Águia de Haia, melhorando ainda mais aquele agradável espaço público. Na Linha Turvo, encaminhamos solução para uma caixa d’água que apresentava vazamento. Para o mês de setembro, deixamos a proposta de uma semana de prevenção ao suicídio com a participação do Hospital de Caridade, Secretaria da Saúde e outros órgãos e instituições afins. Propomos a criação de um link no site da Prefeitura para divulgação dos curtas infantis, valorizando o trabalho das escolas durante nosso Festival de Cinema com suas mostras. Finalmente fizemos uma visita ao Jardim Temático Rucker Thal em Padre Gonzales e recebemos a sugestão de colocarmos placas indicativas para que os visitantes possam chegar com mais facilidade àquele importante ponto turístico de nosso município.

Pais reclamam de falta de vagas em escolas próximas

Rosani do Nascimento (PSDB) – Quero neste espaço parabenizar nossa deputada Zilá Breitembach eleita vice-presidente da nova mesa diretora da Assembleia Legislativa. São quatro mandatos e muita honradez ao povo gaúcho e principalmente uma líder para nós, mulheres. A seguir fala do descontentamento de pais de alunos quanto às matrículas nas escolas para as séries iniciais. Muitos pais estão tendo dificuldades de matricular seus filhos em escolas próximas dos bairros onde moram, conforme garante o ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente). Tem criança que mora no bairro Pindorama e tem que estudar no bairro Ildo Meneghetti. Outra família tem uma criança matriculada na Ildo Meneghetti e para a irmãzinha foi oferecida vaga na nova escola do bairro Sul Serra (antigo estádio), causando transtorno, pois a lógica seria irem juntos para a mesma escola. A diversas outras crianças estão sendo oferecidas vagas na nova escola, mesmo morando em bairros distantes, e isto os pais não estão aceitando, a lei é clara ao dizer que deve ser oferecida vaga próximo à residência da família.

Faço um pedido em nome dos moradores da rua D Pedro I (bairro Operário), onde há mais de 2 meses uma boca de lobo está entupida e em dias de chuva provoca verdadeiro alagamento. Tem morador que não consegue atravessar a rua. Já foi prometida uma solução e os tubos estão lá, mas não foram instalados. Como a rua fica próximo à Escola João Padilha do Nascimento, no que começarem as aulas haverá dificuldade para crianças de deslocarem em dias de chuva, pondera a vereadora ao finalizar.

 

Você tem é que criar vergonha na cara, Paula de Paula

Flávio Habitzreiter (PTB) – Menciona sério problema que se verifica há tempo na localidade de Vista Alegre, Padre Gonzales, onde cruza a RS 305 que não tem mais condição alguma de trafegabilidade. No sábado estivemos lá com moradores fazendo um protesto, tiramos fotos que serão entregues durante reunião de nossa bancada (PTB) no próximo dia 13 com o secretário de Estado, Jovil Costela. Há alguns anos passavam ônibus de várias empresas, hoje nenhum ônibus cruza por ali. Moradores não conseguem fazer nenhuma promoção, pois ninguém vai por falta de condições de chegar. Eles fizeram um abaixo assinado pedido providências, destacando que lá se produzem cerca de 45 mil suínos/ano; mais de 100 mil litros de leite/mês, além de soja, trigo, milho e criação de frangos e a única rodovia que temos é a RS 305. Suas péssimas condições praticamente interromperam nossa ligação com Três Passos, Crissiumal e Horizontina, destacam os moradores, revoltados. A seguir o vereador manifesta seu descontentamento com a administradora do Hospital de Caridade, Paula de Paula. Trabalhei por 15 anos na saúde de Três Passos, dia e noite. Defendo os funcionários do Hospital como meus irmãos e me sinto honrado em ser vereador desta cidade. Todos os dias recebo pedidos de funcionários e quero dizer que você, Paula de Paula, me surpreende, porque você e meia dúzia lá atrás fazem pressão psicológica com soberba sobre os funcionários. Se você gostasse tanto da saúde como apregoa por aí, não faria o que está fazendo, trabalharia com amor ao próximo o que você não tem, não tem! Você tem é que criar vergonha na cara e não ficar trocando funcionário de função só por perseguição. Todos os dias chegam reclamações de pacientes mal atendidos e que você não resolve e se acha a rainha da Inglaterra. O vereador manifestou grande indignação pelo fato de a administradora não ir ao Hospital quando alguma urgência requer uma solução. Você me representa 0,000 e trouxe um tal de Carlos que também representa 0,000. Fica só caminhando lá dentro, não ajuda nada, deveria no máximo cuidar o pátio do Hospital. 

A saúde de Três Passos não está boa do começo ao fim

Nader Umar (PSDB) – É estranho essa revolta toda do colega com relação à administradora do Hospital. Concordo contigo em muitas coisas, mas também temos que admitir que existem coisas erradas não só no Hospital. Num Posto de Saúde há poucos dias uma paciente foi administrada com 10 doses de uma medicação que deveria ter sido de três doses. A saúde de Três Passos não está boa do começo ao fim. Aí veio R$ 800 mil ao Hospital de uma Emenda Parlamentar e vem o prefeito gargantear que vai repassar o valor que não sei como veio parar na conta da Prefeitura. Mandaram uma carta (a administração municipal) dizendo que não iriam renovar o contrato com o Hospital pela falta de negativas, mas agora estão correndo atrás para renovar, mas por quê? Porque precisam do contrato do Hospital para repassar recursos pra Carrossel? Temos que unir esforços, porque a saúde de Três Passos não vai bem quando temos menos médicos do que postos de saúde. Está complicado agendar consulta em posto de saúde. São filas que se formam. A seguir fala dos projetos que deram entrada para contratação de médicos, dois com 40 horas e dois com 20 horas. Se faltam médicos, temos que contratar e não podemos fazer de conta que está tudo bem. Se tiver que aumentar o salário do médico, vamos aumentar, o que não dá é para dizer “vamos fazer um contrato de tantas horas, você pode trabalhar menos horas e fica tudo bem”. Não, isso não é correto. Os postos têm que funcionar, o Hospital é para emergências. E o Hospital de Caridade e a Administração Municipal precisam se acertar, precisam sentar e discutir, buscar soluções, a comunidade precisa disso. Referindo-se ao pronunciamento da colega Marli quanto ao achatamento salarial, disse que aqui foi dado só 1% de aumento e ninguém reclamou, nem o vice-prefeito que é do PT. Quando Tarso Genro foi ministro aprovou o piso do magistério e depois, quando governador, não pagou o piso. Criar lei é fácil, cumprir é mais difícil.

Não vamos desfazer o que temos de bom no município

Maria Helena Krummenauer (PTB) – Faz um apelo inicialmente para que a gente não desfaça aquilo que o município tem de bom. Tem coisas que vêm sendo feitas há anos, como na área da saúde. E lembro dos esforços e ações da Zilá, da Rejane, do Beto, do Cleri e agora do José Carlos. Vem de um esforço enorme que eu acompanhei, vou fazer 19 anos na Prefeitura, na área da saúde. E todos os prefeitos fizeram grande esforço para sermos referência na área e hoje somos referência. Então eu peço, não vamos desfazer o que temos de bom no município. Nós, inclusive, recebemos visitas de outros municípios, de outras regiões que vêm ver o que estamos fazendo, como estamos fazendo. Estamos sempre tentando melhorar. Existem deficiências que precisam ser corrigidas, mas estamos sempre fazendo esse esforço. Hoje, por exemplo, temos apenas 5 médicos no atendimento básico porque um se aposentou, outros pediram para sair e alguns se inscreveram para trabalhar e não compareceram, não quiseram vir para Três Passos. Tivemos também outros que trabalharam poucos dias e foram embora. Estamos, no entanto, abrindo procedimentos para novas contratações. Por isso é bom que tenhamos esse curso de medicina na Unijuí. Há alguns anos tínhamos carência em outras áreas, como enfermeiro, que só foi suprida com mais gente se formando em escolas próximas. Temos essa carência momentânea de médicos não só nos Postos onde faltam 10 profissionais, como também no Hospital de Caridade. E nos postos os médicos estão se desdobrando para dar o atendimento necessário, esperamos que com essa nova seleção possamos suprir as necessidades. Quanto à educação, também quero me referir ao que a colega Rosane abordou. Existem municípios onde sequer têm vagas suficientes, as pessoas estão entrando na justiça para conseguir vagas nas escolas. Aqui graças a Deus temos vagas, só se discute onde colocar as crianças, os alunos. Nas EMEIs temos quase 1.000 crianças inscritas e logo teremos uma nova e ampla escola, com excelente quadro de professores, pode até ficar distante para muitas crianças, mas o importante é que tenhamos vagas para todos, pondera a vereadora ao finalizar.