Cidades

Padre Luiz Afonso atuará em Frederico Westphalen a partir de julho

Com carinho e gratidão pelo acolhimento em Santo Augusto, se despede dia 30 de junho
Nesses meses em Santo Augusto, o Vigário Luiz Afonso ganhou o carisma da comunidade com uma missa clara e agradável. Sua carreira contempla dez anos de formação que incluem 3 cidades do Brasil

Um pouquinho da história e crença

Desde os 4 anos queria ser padre

Foi em Marcelino Ramos que nasceu o querido Vigário Luiz Afonso dos Santos. Dos santos, diga-se de passagem - mesmo, literalmente, pois ele é um grande devoto de Nossa Senhora, “percebo ela como um sinal da minha vocação, sempre junto de mim, ela protege a minha vocação desde quando iniciei com 14 anos”, lembrou ele.  Sua história de fé é longa e bonita, "ainda criança, com 4 anos, já brincava de “ser padre” em casa", explicou ele - enquanto os outros meninos brincavam de carrinho e futebol, ele gostava de brincar de fazer a missa – contou à Equipe Celeiro em conversa hoje (10), pela manhã na Praça Pompílio Silva. Na rotina de vigário, o que mais gosta é “ser sinal do amor de Deus na vida das pessoas através dos sacramentos, da missa, da confissão, da visita aos doentes e também da aproximação com as pessoas”.

O futuro 

A princípio sua atuação será colaborar no seminário e na igreja local de Frederico. Já aqui em Santo Augusto não haverá vigário substituto, a princípio. 

Gratidão

Atuando em Santo Augusto e São Valério do Sul desde 15 de janeiro, atuou na Paróquia São João Batista.“Eu cheguei em 15 de janeiro em Santo Augusto e meu último dia será dia 30 de junho. Independente de religião, levo o povo de Santo Augusto como um grupo de pessoas acolhedoras e de fé. Só tenho a agradecer”, disse ele.

 Sua formação

Com 14 anos entrou no seminário em Erechim, onde ficou 3 anos. Após, passou um ano em Frederico e mais 6 anos em São Paulo. Foram dez anos de dedicação, amor e fé que agora, ele tranforma na sua missão e propósito de vida no dia-a-dia.