Saúde

Hospital Bom Pastor passa a atender somente casos de urgência e emergência; recursos municipais devem ser encaminhados

Falta de recursos afetou pagamento do 13º salário dos funcionários
(Foto: Reprodução)

Ainda sem ter recebido cerca de R$ 569,6 mil em recursos do Estado, o Hospital Bom Pastor, de Santo Augusto, passou a atender apenas casos de urgência e emergência. A medida, tomada desde o dia 4 de dezembro, se deu devido à falta de recursos para acertar os pagamentos da folha salarial e do 13° salário dos funcionários.

O principal problema está no atraso do pagamento dos profissionais que prestam serviços terceirizados, como médicos e plantonistas, que estão com os pagamentos atrasados desde agosto do ano passado.

Um financiamento foi feito pelo hospital para pagar o 13°, mas a folha de dezembro ainda não foi acertada. A dívida total estimada é de R$ 157 mil. Além do valor que o Estado deve ao Bom Pastor, foram prometidos outros R$ 750 mil pelo ex-ministro Carlos Marun. Entretendo, em entrevista durante a apresentação de 4 novas médicas para o município, o prefeito Naldo Wiegert esclareceu que esse recurso só pode ser usado na Atenção Básica.

"Na verdade, nós tínhamos ganho do ministro Marun, em uma oportunidade em que ele esteve aqui, um aporte extra de recurso diretamente para o hospital e ele acabou mandando R$ 750 mil para a Atenção Básica, que significa para ser destinado aos postos de saúde", explicou. O prefeito afirmou que, para a Atenção Básica, o município teria recursos suficientes. "Desse recurso nós não estávamos precisando, na verdade, estava tudo planejado, é um recurso que normalmente nós tínhamos", relata.

Para evitar que o Hospital siga sem atendimento, o então prefeito em exercício Marcelo Both, encaminhou na manhã desta quinta-feira,10, um projeto para a Câmara de Vereadores com a intenção de destinar R$ 450 mil dos cofres do município para o Bom Pastor. "O vice-prefeito encaminhou hoje de manhã para a Câmara de Vereadores um projeto de lei para transferir R$ 450 mil de recursos próprios do município, fazendo um esforço grande nesse sentido para que o Hospital Bom Pastor possa colocar em dia algumas pendências que ele tem, principalmente no serviço terceirizado", disse Naldo.

Agora, uma sessão extraordinária na Câmara deve ser convocada para o que o projeto seja aprovado e o dinheiro encaminhado ao hospital. "[O projeto] está na Câmara dos Vereadores, foi solicitado uma sessão extraordinária, estamos no aguardo do novo presidente aí convocar essa sessão e colocar esse projeto na pauta e aprová-lo, para que o município possa transferir os recursos para o Hospital Bom Pastor. Em outros locais os profissionais já abandonaram o atendimento, hospitais já fecharam as portas. Aqui o município ainda tem um pouquinho de folego para poder dar um socorro nessa situação", finalizou o prefeito.