Policial

Começa a fase dos debates do Caso Bernardo

A sessão do júri durou mais de 15 horas
Promotor Ederson Vieira aponta para foto de Bernardo e afirma que réus são psicopatas. Foto: Marcio Daudt/TJ-RS

O júri do caso Bernardo se estendeu até a meia noite desta sexta-feira, 15, os discursos iniciaram com o Ministério Público os três promotores apresentaram os argumentos de acusação. Um dos momentos que marcou essa fase de debates quando um dos promotores mostrou as fotos de quando Bernardo foi encontrado em estado de decomposição, o promotor Ederson Vieira destacou "É forte. Eu espero que o pai dele, que está sentado lá atrás, tenha coragem para ver o filho dele”, nessa hora o advogado de Leandro solicitou que o réu se retirasse da sala.

Os três promotores, Ederson Vieira, Bruno Bonamente e Silvia Jappe acusaram os quatro réus de participação no crime e classificou  Edelvânia, Graciele e Leandro como psicopatas e pediu pena máxima aos réus.

Logo após os advogados de cada um dos réus tiveram uma hora para para apresentar os argumentos de defesa de cada um.

Ao todo  a sessão que durou mais de 15 horas, entre os depoimentos dos réus e debates entre o ministério público e defesa.