Geral

Entrevista exclusiva com o Pedro, o santo-augustense das Farmácias São Joao

Hoje são 704 filiais distribuídas entre Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná. O sucesso? Mistura de esforço contínuo com dedicação. Pedro falou sobre a importância da vinda para Santo Augusto amanhã (5) e de como valoriza as pessoas que o ajudaram em Santo Augusto, sua terra natal – ainda quando jovem. Lembrou da importância da criatividade e dos serviços prestados com qualidade em um mercado extremamente competitivo. Para finalizar, respondeu o porquê não haver nenhuma filial por aqui.
["Pedro Brair entre Ana Am\u00e9lia Menegon, secret\u00e1ria executiva (\u00e0 direita) e a jornalista Roberta Westphalen (\u00e0 esquerda), em encontro com a Equipe O Celeiro na quarta-feira (3), durante almo\u00e7o em Santo augusto. Sobre a palestra dessa sexta-feira (5) no CTG Pomp\u00edlio Silva, Pedro citou desejar que todos pudessem estar presentes, \u201cgostaria de estar pr\u00f3ximo \u00e0 todas as pessoas que me ajudaram a crescer,","reconhe\u00e7o que os primeiros passos foram dados aqui em Santo Augusto\u201d, disse o super empres\u00e1rio."]

O Celeiro:

Qual o seu sentimento em poder estar aqui em Santo Augusto hoje, local onde iniciou toda a história da sua vida? Como é estar aqui na sua terra natal e mostrar o case de sucesso do que você construiu para pessoas que tens tanto carinho?

Pedro:

Eu sou uma pessoa muito simples. Não há nada de extraordinário, fui convidado pelo pessoal do CTG, da Acisa e da prefeitura pois o pessoal me dizia que havia muita gente que queria me ouvir. Minha história é baseada em luta e esforço contínuo até para a sobrevivência do empreendedorismo do varejo que vive em mudança constante. Meu desejo é acolher as tantas pessoas de Santo Augusto que foram nossos clientes e nos ajudaram a crescer, nos ajudaram a impulsionar e então a forma de a gente agradecer é através do Jornal O Celeiro, agradecer a quem foi simpático a nossa marca que nos impulsionaram a dar os primeiros passos. Momentos de muito desafio e aprendizado aqui em Santo Augusto, tenho um carinho muito grande pela minha terra. Jamais uma pessoa se sentirá bem na sua caminhada se ela não valorizar as suas origens e raízes e eu tenho isso muito vivo, o reconhecimento dos primeiros passos. Fica meu carinho, respeito, admiração por todos os amigos e familiares daqui que fizeram parte da nossa história. Tenho certeza que o caminho é longo e há desafios todos os dias. Meu sentimento é de alegria em poder estar aqui nesta sexta-feira.

O Celeiro:

O que é essencial para se manter entre as melhores marcas do varejo farmacêutico no país?

Pedro:

Vivemos em um ambiente extremamente competitivo onde temos que buscar constantemente inovação e melhorias. Temos no Rio Grande do Sul nossa maior marca, além de estarmos em Santa Catarina e Paraná. Possuímos uma concorrência forte já que a DrogaRaia e a Drogasil se uniram e esta fusão se chama Raia Drogasil, uma empresa com muitos investidores, líder do país, extremamente capitalizada, e eles entram extremamente agressivos no mercado. Por isso temos que ser competitivos, criativos e encantar os consumidores para não perder o público que conquistamos ao longo da nossa história por haver outras empresas mais atrativas. Por isso nos mantemos atualizados, atentos, satisfazendo as exigências dos consumidores, mostrando que temos algo a surpreender, algo a servir e prestar em serviços inovadores. Cuidamos para que nossos clientes fiéis entendam que não deixamos nada a desejar a nível de uma empresa global.

O Celeiro:

Porque não há uma filial da Farmácia São João em Santo Augusto?

Pedro:

Não temos nada em contrato em Santo Augusto, temos os bons hábitos e costumes de manter a palavra. Quando eu saí fiz uma negociação e não acho correto, não acho justo vir para cá. Há tantos lugares para ir, não acho necessário e correto vir para cá.

O Celeiro:

Qual o principal objetivo da sua empresa hoje? Aumentar o número de filiais?

Pedro:

Hoje a empresa tem como meta e objetivo a transferência de lojas que não possuem resultado positivo. Atualmente o sucesso da empresa não está no número de lojas, mas em ser saudável, ser sustentável para que as lojas contribuam de forma positiva. Não falamos em fechar lojas pois fechar/ extinguir dá uma sensação de derrota. A sensação melhor é transferir aquilo que não está a contento para um local onde tenhamos uma expectativa maior de êxito daquilo que a gente espera fazer. Queremos crescimento mas acima de tudo qualidade.