MENU
Terça-feira, 25 de Janeiro de 2022

Makoi & a Música

Makoi & a Música

Compartilhe

O músico Makoi – Matheus Macagnan Stankowski-  iniciou a carreira musical aos 10 anos de idade junto com o irmão Lucas, que na época tinha apenas 6 anos.

“Atualmente atuo como produtor musical, compositor e vocalista na minha carreira solo e também como vocalista e violonista do Grupo ID do Samba”, iniciou detalhando ele.

Hoje vivendo do mundo das notas musicais experimenta a emoção de estar no palco e sentir na pele o entusiasmo e a emoção do público. Por influência do pai Paulo que tocava violão e cavaco nas horas de lazer, foi ainda criança que despertou o seu lado artista. Rap, Pagode, Reggae, Neosoul são seus ritmos preferidos. Drake, John Mayer e Mac Miller alguns de seus ídolos.

“Apesar de iniciar tocando pagode, o meu objetivo na época era ser vocalista de uma banda de rock. Eu não lembro escolher outra profissão na infância, acho que sempre quis ser musico. Quando eu tinha 13 anos formamos nossa primeira banda “Overdrive” junto com alguns amigos”, explicou ele que celebra agora o sucesso de sua música “Deixa de Bobeira”.

Cantar na Orquestra Sinfônica de Santa Maria

Arquivista de partituras e diretor de palco desde 2017 da Orquestra Sinfônica de Santa Maria, Makoi este ano recebeu um convite diferente que foi um grande passo na sua carreira: esteve à frente do palco desta conceituada orquestra.

“Me senti um privilegiado em poder cantar minha música junto à Orquestra Sinfônica de Santa Maria. Após eu ter lançado músicas por gravadoras renomadas, o maestro João Batista Sartor soube do meu trabalho em carreira solo e assim veio o convite para cantar minha música “Deixa de Bobeira” no evento de encerramento da temporada 2021. Os grandes eventos da orquestra ocorrem uma vez por mês, e somente nesse período estou lá.”.

Pelos bares e mares

Filho de Paulo e Clara, Mokai tem dois irmãos, Lucas e Gustavo. Uma super inspiração é a sua única filha Valentina. Formado em Música e Tecnologia pela UFSM, Matheus explicou a transição da música de hobbie para profissão: “A ideia de estudar música e se profissionalizar veio com o tempo, depois de passar por vários outros empregos. Lembro ter ido para o litoral de Santa Catarina tentar viver de música com aproximadamente 20 anos, e lá fiquei duas temporadas de verão vivendo com o dinheiro de acústicos em bares e pubs. E somente quando retornei comecei a estudar para tentar o vestibular em Música e a partir dele começar uma carreira mais estável”.

A importância dos pais

“Meus pais e familiares sempre me incentivaram a estudar, sempre apoiaram e fizeram tudo o que estava ao alcance deles para que desse certo. No início comprando instrumentos, acompanhando os shows e dando o suporte necessário (ainda que viam a música como hobbie). Mas logo que ingressei na universidade também passaram a ver a música como uma profissão rentável”.

Por: Bruna de Moraes Silva

Para participar do grupo de WhatsApp do jornal O Celeiro clique aqui.

error: Content is protected !!