MENU
Terça-feira, 25 de Janeiro de 2022

Janeiro Branco, mês voltado aos cuidados com a saúde mental

Janeiro Branco, mês voltado aos cuidados com a saúde mental

Compartilhe

Médicos e psicólogos destacam a importância dos debates sobre tema

A abordagem das várias temáticas relativas à saúde mental da população é o foco da Campanha Janeiro Branco, que busca chamar a atenção dos indivíduos, autoridades e instituições sociais para a importância do debate de ideias e planejamento de ações voltadas ao combate dos malefícios causados pelos diferentes transtornos ligados ao universo mental, à prevenção das doenças psíquicas e a “quebra de tabus” ligados ao tema, ainda considerado pouco relevante por muitas pessoas.

 

Onde procurar ajuda?

Os indivíduos que necessitam um atendimento psicológico e psiquiátrico especializado podem procurar o Sistema único de Saúde (SUS), por meio da Estratégia Saúde da Família (ESF), das Unidades de Pronto Atendimento (UPA) ou nos Centros de Atenção Psicossocial (CAPS). Também há a possibilidade de consultas particulares com psiquiatras da rede privada. Sobre o significado e a magnitude da Campanha Janeiro Branco, a psicóloga Leoni Beatriz Frohlich — que atualmente realiza atendimentos privados na área da Psicologia Clínica e Organizacional em Santo Augusto — destaca que o movimento estimula reflexões e a troca de conhecimentos sobre o tema. De acordo com Leoni, debates sobre quaisquer assuntos são sempre relevantes, já que as discussões possuem a “capacidade de abranger diferentes pontos de vista, gerando expectativas em elevar o nível de consciência sobre os objetivos a serem alcançados”.

 

Cooperação entre psicólogos e psiquiatras

A parceria estabelecida entre os profissionais da psicologia e médicos da área psiquiátrica, extremamente usual e reconhecida pela sociedade, possui a finalidade de maximizar os processos de recuperação dos pacientes ou, em casos que não há esta possibilidade, atingir a estabilização clínica. Leoni pontua que existem diversas maneiras de trabalho conjunto entre as duas áreas, que variam conforme as necessidades dos pacientes.

 

Perspectiva médica

De acordo com Douglas de Araújo, médico residente em Psiquiatria no Hospital de Caridade de Ijuí (HCI), os transtornos mentais mais comuns são ansiedade, depressão, problemas decorrentes do abuso de substâncias psicoativas e transtornos de personalidade. Araújo também pontua o crescimento de casos de transtornos relacionados à utilização abusiva da internet e jogos eletrônicos, com o registro de um número cada vez maior de pacientes nos ambulatórios de psiquiatria. O residente do HCI também destaca o contexto multifatorial envolvido no diagnóstico dos transtornos mentais. “Depende de fatores genéticos, que geralmente precisam da ocorrência de eventos sociais, psicológicos e ambientais para que a doença ocorra. Determinados acontecimentos servem de “gatilhos” para o aparecimento dos referidos transtornos, como o uso de drogas, traumas de infância, pobreza extrema (fome), dentre outros”, afirma o médico.

Por Vicente Giesel Hollas

 

Confira o texto completo na edição impressa desta sexta-feira, 14.

 

 

Tags de Resumo:
error: Content is protected !!