MENU
Sexta-feira, 17 de Setembro de 2021

Exportações da indústria gaúcha registram primeiro aumento após 15 meses

Exportações da indústria gaúcha registram primeiro aumento após 15 meses

Compartilhe

As exportações da indústria no Rio Grande do Sul fecharam o ano de 2020 com o primeiro resultado positivo após 15 meses. Em dezembro, totalizaram US$ 1,1 bilhão, aumento de 13% em relação ao mesmo mês de 2019 (US$ 975,4 milhões). Porém, ao longo do ano, as vendas externas acumularam US$ 10,4 bilhões, valor 16,4% inferior comparado ao mesmo período do ano passado. “Com os países voltando gradativamente às atividades mesmo diante do cenário de pandemia, começa a haver um reaquecimento da demanda externa. Dois de nossos principais parceiros, Estados Unidos (com 13,3%) e Argentina (9,8%) aumentaram suas compras no último mês de 2020, apesar dos embarques de produtos gaúchos para a China terem caído 43% na comparação com dezembro de 2019”, diz o presidente da Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Sul (FIERGS), Gilberto Porcello Petry.

Dos 23 segmentos da indústria, 17 assinalaram aumento do valor exportado na base de comparação com dezembro de 2019. Com exceção dos setores de Alimentos (-1,5%), Químicos (-6,7%) e Couro e calçados (-14,6%), o resultado positivo foi disseminado entre os grandes exportadores.  O setor de Tabaco registrou aumento de 81,6%, em virtude das vendas para China (US$ 84,1 milhões), Bélgica (US$ 2,8 milhões), Emirados Árabes Unidos (US$ 5,1 milhões) e Egito (US$ 3,5 milhões). Os embarques do setor de Celulose e papel cresceram 52,9%, com a elevação da demanda da China (US$ 20,5 milhões), Estados Unidos (US$ 4,4 milhões), Coreia do Sul (US$ 6,6 milhões) e Japão (US$ 5,6 milhões). Já Máquinas e equipamentos subiu 20,4%, Produtos de metal, 49,4%, e Veículos automotores, 15,2%.

Um dos setores que mais cresceu durante a pandemia, Alimentos teve queda de 1,5% na comparação mensal. Apesar disso, de janeiro até dezembro, a demanda chinesa acumulada por Alimentos do RS subiu 101,2%, mantendo o segmento no topo da pauta de exportações do Estado, com 24,4% de participação total e 11,8% de crescimento no período.

error: Content is protected !!