MENU
Quinta-feira, 29 de Julho de 2021

AQUELES QUE NÃO VIBRAM, NÃO AMAM!

AQUELES QUE NÃO VIBRAM, NÃO AMAM!

Compartilhe

Sabe aquela sensação de que alguém não está na mesma frequência que você, quando tu sentes que deveriam estar sintonizados? Pois é, tem gente que não vibra, e se não vibra não podemos captar suas ondas de energias, sejam elas positivas ou mera intenção em perturbar. Por vezes, comemoramos algo, vibramos com aquilo que fazemos, sentimos tesão em amar o que estamos criando, desenvolvendo e observamos n’outro que a sinergia não é a mesma.

O filósofo, Nietzsche, chamou isso de “vontade de potência” – ou vontade de poder – que é a nossa força motriz, isto é, nossa capacidade de ir além, de subir montanhas, de voar, é a nossa capacidade de conseguirmos aquilo que almejamos, pois compreendemos o valor que nela há, e assim, atingimos a “expansão do ser” e viveremos a vida plenamente.

Tem gente que só sente a vida vibrar quando não dá mais para demonstrar. Humilha o próximo, menospreza, te olha dos pés à cabeça para tentar te rotular, faz isso todo dia, mas quando está mal, em apuros, vê a vida passar em seus olhos e clama por mais um dia de vida. Pergunta: para que? Para continuar não vibrando? Humilhando? Menosprezando? Claro que não, é aí que entra a redenção.

Não temos como culpar os pusilânimes pela não vibração da vida, afinal, é como dizem – “Motivação é uma porta que só abre por dentro”.

São elas, as pessoas que nunca acham uma solução, mas sempre reclamam, ao invés de acender uma vela, amaldiçoam a escuridão. Normalmente não sentem apreço pelas coisas boas da vida, como por exemplo, amizades, ir no parque tomar um chimarrão, pescar no final de semana, etc. Sempre acham um problema para a diversão do outro. Claro, a vida não é só diversão, gente que acorda assoviando, desconfie!

A vida deve ser encarada com alegria, devemos rir das adversidades que ela nos prega, esses dias mesmo, num desses jogos aí, fui sorteado, bah, o cara que não ganha nem par ou ímpar, ganhei no jogo, feliz demais, planejando o que fazer com aquela quantia – qual conta pago primeiro – mal pude sonhar, o banco me acorda do devaneio, me dizendo que o mesmo valor que ganhara, deveria pagar um título que aparecera do nada numa negociação, e por coincidência ou destino, o valor diferenciava um ou dois reais daquele que eu ganhara no baralho. Acordei! Pesadelo.

Eu poderia praguejar a vida, chorar em posição fetal ou amaldiçoar alguém, mas não, eu apenas ri, porque é assim que devemos encarar às adversidades da vida, rindo delas e enfrentando com coragem, pois como disse Nietzsche, “Aquilo que não me mata, me fortalece.”  Já aqueles que não vibram, não são capazes de amar, porque amar é vibrar e a gente só vibram com aquilo que ama.

error: Content is protected !!