MENU
Quarta-feira, 01 de Dezembro de 2021

Apresentação obrigatória de comprovante vacinal começa a valer a partir de hoje no RS

Apresentação obrigatória de comprovante vacinal começa a valer a partir de hoje no RS

Compartilhe

A obrigatoriedade na apresentação de comprovante de vacinação em atividades de alto risco para Covid-19 começa a valer nesta segunda-feira em todos os 497 municípios do Rio Grande do Sul. Competições esportivas e festas são exemplos que se enquadram na determinação do governo estadual.
As normas só puderam ser colocadas em prática em função do crescimento no número de imunizados no RS. Conforme dados do painel de monitoramento da Covid-19 do governo do Estado, 70% da população adulta havia recebido as duas doses até o dia 15 de outubro. Em relação ao recebimento de ao menos uma dose, entre o mesmo público, o número estava em 93%, o que é algo para ser comemorado. O Brasil, não custa lembrar, rompeu a barreira dos mais de 600 mil mortos pelo vírus. Dessa maneira, a vacinação precisa ser incentivada como segurança maior para quem recebe a imunização e também para aqueles que convivem com outras pessoas. O risco de contágio sempre é maior onde há mais volume de gente reunida. E é exatamente neste ponto que entra a importância da apresentação do comprovante vacinal.
A determinação para apresentar o comprovante de vacinação vale tanto para os profissionais que trabalham nos locais considerados de alto risco de transmissão do vírus como para o público frequentador. Em uma casa de shows que se enquadre na norma, por exemplo, os funcionários e os visitantes terão de comprovar a imunização.
A apresentação obrigatória do comprovante de vacinação que começa a valer a partir de hoje, segue um cronograma conforme a idade e o avanço da campanha de imunização no Estado. Serão aceitos comprovantes de vacinação emitidos pela Secretaria Estadual da Saúde (SES) ou outro órgão governamental. O certificado emitido pelo aplicativo Conecte SUS ou por outro meio, como caderneta ou cartão de vacinação, são exemplos aceitos.
O passaporte vacinal vale para os eventos infantis, sociais e de entretenimento em bufês, casas de festas, shows ou noturnas; restaurantes, bares e similares. Também será necessário apresentar a comprovação em feiras e exposições corporativas, convenções, congressos e similares.
Além desses locais, em que o risco de contágio pelo Corona vírus é alto, será preciso portar o comprovante e exibir no momento de ingressar do mesmo modo em cinemas, teatros, auditórios, circos, casas de espetáculo e de shows. Por fim, para acessar parques temáticos, de aventura, de diversão, aquáticos, naturais, jardins botânicos, zoológicos e outros atrativos turísticos também haverá a necessidade da comprovação. Em eventos e festas com público superior a 400 pessoas, será exigida a apresentação de exame negativo para Covid-19. O teste negativo também será obrigatório para os eventos e feiras com mais de 2,5 mil pessoas presentes.
Em relação aos estádios de futebol, o governo estadual liberou o aumento de 30% na ampliação da capacidade do público no dia 30 de setembro.
O governo do Estado ressalta a importância de que as pessoas sigam com os demais protocolos gerais de combate à Covid-19, tais como o uso de máscara, distanciamento social (preferencialmente de dois metros entre as pessoas), limpeza das mãos com álcool em gel 70% ou água e sabão, e manutenção dos locais com ventilação natural. As demais recomendações são manter o trabalho, quando possível, de forma remota. Também há a orientação para que as empresas busquem funcionários com sintomas e encaminhem para atendimento de saúde, além de assegurar o isolamento domiciliar para trabalhadores e familiares com suspeita de Covid-19. Ocupar os espaços de alimentação coletiva em horários diferentes e respeitando a distância mínima é outra sinalização.
Os protocolos serão fiscalizados pelo Estado e municípios, especialmente pelas vigilâncias sanitárias das prefeituras. Há um canal estadual para denúncia por descumprimento da determinação, por meio do telefone 181. A Brigada Militar e a Guarda Civil podem ser acionadas nesses casos.
Fonte: Correio do Povo

error: Content is protected !!